SuperFoil Brasil 2020 – Final

O inédito campeonato internacional de Kite Hydrofoil Freestyle e Wing Foil consagra seus campeões

O SUPERFOIL BRASIL 2020, definido como 1º Super Grand Slam oficial das duas modalidades, entra para a história confirmando o foil como a grande nova estrela dos esportes à vela. Dentre os vencedores prevaleceu o domínio estrangeiro, com os brasileiros mostrando uma performance crescente e que promete gerar novos campeões muito em breve

Fortaleza, CE, 13 de novembro, 2020 – Em 3 dias de competição na Praia de Iracema, localizada na capital cearense, Fortaleza, o mundo pode ver um espetáculo de altíssimo nível nas apresentações do SUPERFOIL BRASIL 2020. Com duas modalidades em jogo, tanto o Kite Hydrofoil Freestyle e Wing Foil, as performances em estilo livre seguiram o mesmo estilo de pontuação usado no surf mundial, com a realização de baterias de altíssimo nível, com variações de 9 a 7 minutos, os atletas foram avaliados por três importantes critérios: a dificuldade técnica apresentada, a qualidade da execução de cada manobra e a variedade de movimentos. Vence a bateria que soma o maior número de pontos, por serem performances características do freestyle o que se vê na água é um espetáculo de técnica e arte.

O Wing Foil abriu o último dia de competição levando à final um duelo de gigantes, com Titouan Galea, da Nova Caledônia, enfrentando o suíço considerado melhor do mundo em freestyle, Balz Muller. Titouan ganhou fechando 26.83 pontos contra 24.17 do suíço, o que mostra o excelente nível de disputa entre eles. “Sem dúvida, o favoritismo era do Balz, mas acredito que minha performance no surf foi o diferencial para esse resultado”, declarou Titouan.

Os brasileiros Fernando Novaes e Kauli Seadi disputaram 3º e 4º lugares após caÍrem nas semi-finais da competição. Fernando levou a melhor e Kauli finalizou em 4º.

Dentre as mulheres apenas três competiram no Wing Foil. A vitória foi da argentina Leysa Perotti, com a tcheca Paula Novtna em 2º, e a brasileira Lyana Maia em 3º, que comemorou: “Para mim foi uma honra enorme fazer minha estréia em um evento tão importante. Exige muita técnica, é difícil, mas é sensacional ser pioneira no Wing Foil”. Lyana é cearense e atua como dentista, velejando nas horas vagas.

No Kite Hydrofoil, a bateria final foi entre o americano Fred Hope e o francês Charles Brodel. Considerado favorito, o americano confirmou A superioridade e sagrou-se campeão.

AÇÃO AMBIENTAL
No último dia de competição, o Superfoil realizou um belo trabalho de consciência ambiental. Cientes de que as pipas de kite não tem apelo reciclável e são descartadas diretamente nos lixões, a organização encomendou mochilas feitas pela Green Bag Brasil, que capta velas de kite antes do descarte, desinfeta e os leva para através de corte e costura, se tornarem mochilas e bolsas. Um exemplo de empreendedorismo ambiental e social a ser divulgado mundo afora pelo Superfoil.

E ainda neste sábado, às 10h, haverá uma ação de limpeza subaquática no local em que o evento foi realizado. Com a presença de mergulhadores, a limpeza subaquática nos desperta a ampliar a percepção de como o mar precisa da nossa atenção e posicionamento no combate a poluição e lixo, algo urgente e importantíssimo. Fortaleza agradece e deseja que mais eventos possam seguir o exemplo do Superfoil Brasil 2020.

Créditos fotos:
@romantsovaphoto

Comentários