Urca do minhoto ou Hawaii Brasileiro

 
Localizada à 29 kilometros de distancia da costa de Galinhos, aconchegante cidadezinha do estado do Rio Grande do Norte.

Urca do minhoto é uma poderosa onda, onde a profundidade vem de 2.500 metros e sobe verticalmente chegando a aflorar diversas pedras no meio do nada.  Alem da poderosa bancada o que mais impressiona é a cor da água, nesta mesma região existe a chamada risca do ZUMBI, conhecida por mergulhadores como uma das águas mais claras do mundo para pratica do mergulho.

A logística para uma expedição deste nível é de fundamental importância, um erro pode acarretar uma simples frustração ou ate mesmo uma grande tragédia. A preocupação com enjoou, defeitos mecânicos, gasolina reserva, acidente, e bem estar físico de toda tripulação e constante, e preponderante para uma expedição bem sucedida. À 29 km da costa todos somos um só, uma equipe, a preocupação com o companheiro é constante, devido a tubarões e corais. Uma pequena desatenção pode-se perde um companheiro de vista e em segundos a correnteza tragá-lo para longe do barco.

Essa historia começou quando um amigo Mozart Araujo nos comentou sobre essa onda em meados do ano 2004. De lá para cá começou o sonho em desbravar essa onda com uma boa infra-estrutura.

Contactamos um amigo, piloto de helicóptero da Petrobras chamado André Farias que trabalha em Guamaré, ele disse que sempre sobrevoa as plataformas, e que passou sobre uma bancada próxima de uma das diversas plataformas e viu uma onda quebrando.

Como surfista e velejador, resolveu conferir de perto, na mesma hora marcou as coordenadas em seu GPS, e enviou para o Lucas Padilha (proprietário da marca Strong Wind) que ficou empolgado e nos fez o convite para registrar  a expedição, topamos na hora, convidei o Abílio Marques nativo de Paracuru que fabrica Caixas estanque para completar a equipe pois é um excelente piloto de Jet ski, Lucas agilizou toda a logística para sair tudo perfeito, barcos, Jet ski, GPS, primeiro socorros, contato com piloto de helicóptero caso algum imprevisto ocorresse e convidou um amigo chamado  Henrique Marinho do Ipom (Instituto Povo do Mar) , e um Paraibano Chicó Moura, 52 anos.

Marcamos para o big swell de 12 e 13 de março, com tudo pronto partimos dia 11 para termos tempo de acertarmos detalhes com lanchas, Jet ski, Kites, Wind e as pranchas de tow-in, como tínhamos que levar muita bagagem por ser tratar de uma onda no meio do oceano não dava pra voltar pra pegar nada, embarcamos tudo na noite do dia 11 para sairmos ás 03 da manhã do dia 12 março 2013, pois demora 3 horas de barco.

Chegando no pico as 06 da manhã todos ficaram surpresos com o tamanho das ondas, chegavam a 10 pés nas maiores da série, encontramos outro barco com 2 jets, era o Paulo Moura atleta da RIP CURL, Eduardo (Rato) Fernandes, Paulo Moura de Serrambi ,Alexandre Ferraz, Rogério Soares, e os fotógrafos Clemente Coutinho e Pedro Tojal, foi um dia de sonho, não dava para descer as maiores na remada, o auxilio do Jet foi indispensável para fazer o tow-in, assim como a logística com a segurança e resgate dos surfistas.

Para completar a beleza das imagens, o Lucas Padilha , resolveu armar o Kite e fazer kitewave e depois windsurfe mostrando que estar em total sintonia com os esportes náuticos, mesmo com a dificuldade de armar todo o material em alto mar deu tudo certo e as imagens comprovam tudo.

Comentários