Como que o Coronavírus está impactando kitesurfistas no mundo?

A pandemia do Covid-19 está em todo o mundo, os velejadores profissionais estavam espalhados pelo planeta e contam suas experiências e rotinas durante esse delicado momento de quarentena.

Cabo Verde para o Sul do Brasil

“Estou na casa dos meus pais, em Florianópolis – Santa Catarina. Após voltar da etapa do mundial GKA em Cabo verde, vim para Florianópolis ver meus pais, nessa mesma época o corona virus ja estava se espalhando, mas ainda parecia ser algo distante da nossa realidade (Brasil). Estava tranquilo, por isso resolvi fazer uma pequena road trip com amigos para picos mais ao sul do Brasil. Velejamos, curtimos, conhecemos…, mas o que não esperávamos era que no meio da trip o virus ja tinha se espalhado em uma proporção gigantesca. As medidas governamentais de contenção do virus me fizeram perceber que eu não poderia voltar pra casa ja que estavam bloqueando a entrada de pessoas na ilha e pior, poderia estar levando o virus pros meus pais.

Já estou a quase uma semana de quarentena e a rotina por aqui não tem sido fácil, ficar sem fazer as coisas que você mais gosta nunca não é muito legal. Mas sabemos que por uma boa causa e vamos sair dessa juntos… Por enquanto, muito Netflix e tempo de sobra para organizar o quintal e curtir o Zack (meu dog).” – Sebastian Ribeiro, Duotone.

Sebastian Ribeiro

Peniche, Portugal

“Estou em casa em Peniche, Portugal. Eu pensei que era muito arriscado e um pouco egoísta tentar voltar ao Canadá neste momento. Não queria adicionar ao caos por ter estado na Europa. Além disso, o pensamento de possivelmente ter o Covid-19 ou contraí-lo no meu caminho de volta para a América do Norte e espalhá-lo para a família e amigos parecia horrível. Então imaginei que posso trabalhar remotamente, só ficaria em casa e esperava velejar e surfar sozinho. Mas acabamos de entrar em estado de emergência na quarta-feira. Eles fecharam todas as praias para kite e surf. Os moradores locais estavam chateados e a vibração não é amigável, mas no geral eu diria que todo mundo está começando a levar as coisas a sério. Especialmente com a notícia de que a Itália ultrapassou a China no total de mortes. É uma loucura ver a mentalidade dos jovens e da geração mais velha nessa situação. Felizmente, na América do Norte, haverá exemplos suficientes de como os países reagiram e os resultados dessas reações e que, por sua vez, influenciarão as pessoas a tomar as precauções recomendadas pelas autoridades. Com os dedos cruzados, ele vai passar mais rápido do que todos pensamos e mudará para um vírus menos mortal, logo estaremos de volta à água. Por enquanto, acabei de encontrar minha namorada, que está de folga, preparando projetos divertidos em casa e arte para trabalhar. Então, vou continuar trabalhando (com um fluxo de trabalho e metas ajustadas) e tentar usar esse tempo para refletir sobre o que é importante na vida, dar uma olhada na minha perspectiva e ver o que preciso ajustar. Estava conversando com um amigo ontem e eles disseram que usariam esse tempo para redefinir e criar novos bons hábitos. Eu gosto dessa mentalidade, então vamos continuar no próximo mês ou no tempo que for necessário. ” – Craig Cunningham, Duotone

Craig Cunningham, velejador do time Duotone Canadá enfrentando a tempestade do Corona em Portugal

 

Encalhado no caminho

“Sim, parece que todos estão se “arrastando” para voltar para casa ou trancando onde estão. Na verdade, eu estava voando para as Ilhas Marshall no dia 6 de março, com uma escala de seis horas no Havaí. Durante o meu voo para o Havaí, as Ilhas Marshall rapidamente passaram de alerta para fronteiras fechadas em questão de poucas horas. Eu cheguei no Havaí e de repente não consegui entrar na minha conexão. Estive em Oahu desde que esperei e participei de algumas sessões divertidas! ”- Evan Netch, Cabrinha

Cabo Verde para Canadá

“Tenho sorte de ter chegado ao Canadá da Europa sem muitos problemas. Após o evento da GKA em Cabo Verde, planejei uma curta viagem no Reino Unido para realizar algumas demos de Aluula. Quando cheguei, havia apenas 100 casos de coronavírus registrados no Reino Unido. Três dias depois, havia mais de 500 casos no Reino Unido e os Estados Unidos haviam acabado de parar todos os vôos vindos da Europa. Felizmente eu estava voando para o Canadá, mas decidi interromper minha viagem e cancelar a demo apenas para ter certeza de que chegaria em casa. O aeroporto de Heathrow era agora o único aeroporto que tinha vôos da Europa para os EUA. Foi facilmente a experiência de aeroporto mais insana que já tive. Haviam milhares e milhares de pessoas no aeroporto tentando fazer o check-in em seus vôos e chegar em casa. Era ombro a ombro, metade das pessoas usava máscaras e luvas, e havia tantas formações diferentes cruzando entre si que era quase impossível encontrar para onde você precisava ir. Eu também tinha três enormes mochilas que eu precisava carregar. As pessoas estavam surtando e desmaiando no chão, sem brincadeira! Felizmente, cheguei quatro horas mais cedo porque demorou 2,5 horas para fazer o check-in e passar pela segurança. Depois que consegui, viajei tranqüilamente e cheguei em casa na costa oeste do Canadá, onde agora estou em quarentena por duas semanas. Tudo está muito mais relaxado por aqui, as pessoas estão mantendo distância um do outro por enquanto e vamos ver para onde vai! ” —Rece Myerscough, Ocean Rodeo

Reece Myerscough participou do evento do GKA em Cabo Verde antes de voltar para a América do Norte.

 

Os Países Baixos
“Até agora, o coronavírus teve um enorme impacto em nossa vida diária. Na Holanda, é aconselhável trabalhar em casa, não se aproxime das pessoas e, se houver algum sintoma, fique em quarentena por duas semanas. Felizmente, ainda podemos sair se mantivermos pelo menos 1,5 m de outras pessoas. Ainda podemos velejar, mas muitas pessoas não vão porque não querem entrar em uma situação em que precisam de ajuda e são resgatadas ou ter um acidente e vão ao hospital. Eu moro em uma área tranquila perto da praia para poder ainda velejar, mas sou extremamente cuidadoso, mantenha distância adequada e use apenas minha própria bomba que ninguém mais pode usar. Meus pensamentos se voltam para todas as pessoas afetadas pelo vírus e fico feliz que todos estejam compartilhando tantas vibrações positivas durante esses momentos difíceis. Tudo de bom para todos, mantenha-se saudável, mantenha-se seguro, fique longe um do outro, mas ligue um para o outro e ajude-se sempre que possível. ”- Annelous Lammerts, Cabrinha

Miami, Flórida

“Estamos todos trabalhando longe de casa, os planos de viagem são cancelados e muitos eventos futuros estão cancelados. Esperamos que, dentro de 6 a 8 semanas, tenhamos um ressurgimento de interesse para que as pessoas experimentem novos equipamentos. É um novo desafio tentar lidar com uma criança de três anos e responsabilidades profissionais para mim e minha esposa em casa, mas estamos nos adaptando lentamente. Estamos vendo uma recuperação gradual para nossos parceiros na China e Hong Kong, mas para a Itália, onde está nosso amigo Alby Rondina, é uma situação difícil. Sair pra velejar parece ser uma boa maneira de aliviar o estresse da pandemia e praticar algum distanciamento social. ”- Todd Greaux, Cabrinha

Hood River, Oregon

“O coronavírus afetou todos nós. Felizmente, não fui pega viajando quando o surto aconteceu e estava em minha casa em Hood River, Oregon. Hood River é uma cidade pequena e, neste momento da pandemia, permaneceu relativamente isolado, no entanto, ainda estamos praticando um sério distanciamento social e oferecendo apoio aos membros idosos da comunidade. Nossos vizinhos são nossos melhores amigos. Sensi Graves e Brandon Scheid, que foram as únicas pessoas com quem continuaremos a passar tempo e podemos até pegar uma sessão de velejo gelado aqui ou ali. Então, eu diria que temos muita sorte nesse momento. Por outro lado, todas as minhas viagens para os próximos meses foram adiadas ou canceladas, por isso será interessante ver como todos esses planos se desenrolam. ”- Colleen Carrol, Duotone

Itajaí, Brasil

“Espero que essa situação seja passageira e seguimos os nossos planejamentos anuais na esperança que que não precisaremos adiará eventos de lançamentos, e em breve estaremos de volta na água. Nossa produção está dentro do possível nossos escritórios estão em regime de home office em todo o mundos. Seguimos em isolamento social tentando minimizar os efeitos, tento mais tempo em casa para fazer e dar importância para atividades e relações e rever nossos comportamentos!! Desejamos que todos saiam dessas crise fortalecidos e motivados para novas batalhas !” – Bruno Nogueira, Duotone

 

Texto por John Bryja / Renato Haddad

Comentários