Brasileira conquista título inédito e é campeã sul-americana de kitesurf

Evento realizado na Praia Brava, em Itajaí também premiou no masculino o uruguaio, Nico Landauer

Foram nove dias de muita adrenalina e manobras radicais, durante os Campeonatos Brasileiro e Sul-Americano de kitesurf, realizado num dos cenários mais deslumbrantes de Santa Catarina, a Praia Brava, em Itajaí.

A competição, que premiou com os títulos de campeões brasileiros, os maranhenses Bruno Lobo e Maria do Socorro Reis, a “Socorrinho”, teve ainda outros cinco dias de disputas pelo campeonato sul- americano de kitesurf.  Cerca de 20 atletas vindos do Brasil, Argentina, Peru, Colômbia, Uruguai, Turquia e Estados Unidos brigaram pelo título.

Após 20 regatas, o uruguaio Nico Landauer, que foi medalha de prata nos jogos Pan- Americanos de Lima, no Peru, ficou com título de campeão Sul-Americano de kitesurf, já que o atual campeão, Bruno Lobo, não competiu.

“Foi uma competição muito dura, com o mar muito bravo, mas com grandes atletas de toda América do Sul e dos Estados Unidos. Esse título representa muito para mim e para meu país”, declarou o uruguaio.

E pela primeira vez a competição contou com a participação de mulheres. Durante toda a regata, a disputa foi acirrada entre a maranhense e a colombiana, María Lizeth Loaiza Rojas, atual campeã Sul- Americana. Mas a brasileira Maria do Socorro Reis mostrou porque é uma melhores kitesurfistas do mundo e garantiu o título inédito para o Brasil.

“Foram dois eventos muito importantes para mim, primeiro foi o Brasileiro e agora o Sul-Americano, que é um evento de nível mundial. Eu pude competir com outras meninas  e percebi que, a cada ano, o nível aumenta e isso é um incentivo, pois agora começam os treinamentos para as Olimpíadas de 2024, na França. É a primeira vez que participo e estou bem feliz com o resultado”, falou a nova campeã Sul- Americana de Kitesurf.

Para o organizador do evento e flysurfer, Claudio André Cruz, os campeonatos foram um sucesso, com condições climáticas favoráveis onde os atletas puderam mostrar o melhor. “Todos conseguiram superar seus limites, conhecendo condições diferentes do mar, mas buscando resultados”, falou.

Ainda segundo ele, já está confirmado o Campeonato Brasileiro de Kitesurf, na Brava, em Itajaí, em 2020 e outras competições.

“Ficamos muito felizes com a confirmação do Brasileiro aqui em Itajaí e queremos trazer para a cidade uma etapa do Mundial de Kitesurf, também no próximo ano, pois o Sul-Americano deve ser no Peru, que sediou os jogos Pan-Americanos e está com a estrutura pronta”, anunciou.

ESPORTE OLÍMPICO EM 2024  

Na fórmula kite a disputa é em formato de regata, com os velejadores competindo numa prancha com foil, uma quilha, que faz o atleta praticamente voar sobre a água. Numa disputa com muito vento, o kite chega a atingir 80 quilômetros por hora.

E essa será a modalidade que fará parte das Olímpiadas da França em 2024. De acordo com o representante da Confederação Brasileira de Vela- CBVela e gestor esportivo, do Comitê Olímpico Brasileiro – COB, Daniel Santiago, o acompanhamento de competições como essa, faz parte do planejamento pensando nas Olimpíadas de Paris, onde a classe vai estreiar.

“Desde 2018 a CBVELA vem fazendo um trabalho de mapeamento dos principais eventos, tentando fazer investimento, principalmente na parte técnica, para poder identificar velejadores brasileiros, melhorar o nosso nível técnico e conhecer os velejadores que possam fazer parte da equipe para começar a ter um acompanhamento mais dedicado, mais específico”, explicou.  Santiago completou dizendo que, “no mundial da Itália já teve uma demonstração de como vai ser esse formato, então o Brasil precisa fomentar o feminino, ver mais as meninas que estão velejando e, claro, acompanhar os meninos também pra gente formar uma dupla forte para o país ser bem representado”.

O gestor do COB também comentou o nível dos atuais atletas brasileiros, destacando nomes que participaram no Campeonato Sul-Americano de kitesurf, em Itajaí.

“Certamente o Bruno Lobo é um destaque, atual campeão Pan-Americano, a Socorrinho que ganhou bastante experiência e outros atletas, como o Bruno Lima, com 19 anos, que mostrou que é uma promessa no esporte. Agora é acompanhar um pouco mais, conseguir fazer mais eventos e identificar esses velejadores, mas certamente o Brasil vai protagonizar os principais campeonatos  do mundo”, finalizou.

RESULTADO DO SUL-AMERICANO DE KITESURF

Under 19:

Noah – Estados Unidos

Master:

Nico Landauer – Uruguai

Roberto Veiga- Brasil

Federico Aguilar – Argentina

Grand Master:

Wilson Veloso – Brasil

Exequiel Balbarrey – Argentina

Feminino:

Maria do Socorro – Brasil

Lizeth Loaiza – Colômbia

Bilge Ozturk – Turquia

Open:

Nico Landauer – Uruguai

Francesco Puliatti – Peru

Victor Bolanos – Colômbia

Bruno Duarte – Brasil

Wilson Veloso – Brasil

Comentários