Tack

Como executar o Tack no Hydrofoil?

Neste artigo, vamos dar as dicas sobre uma das transições mais complexas de executar no Hydrofoil, o TACK ou cambada.

O Tack é uma transição que ocorre quando você está no orçando e deseja trocar de lado sem perder velocidade e com a prancha no ar, sem tocar na água. Existem muitas dicas que discutimos nos grupos, nos vídeos e você terá que treinar para assimilar a mecânica na transição.

Eu indico você iniciar num gramado ou areia somente com o kite, fazendo o movimento com o kite para assimilar e entender quais os passos, ou seja, a posição do kite, da barra, o momento de trocar de lado, etc.

Tudo começa com a velocidade, mantenha firme para não diminuir, afinal a troca deverá ser feita com a prancha em movimento, fluindo no ar. Quando decidir o momento, traga o kite às 12h e ao mesmo tempo puxe a barra (em direção à cabeça) para não perder pressão nas linhas, inicie um giro do corpo em direção à frente da prancha, de forma que o corpo fique quase reto, porém com as pernas flexionadas (quase que numa posição de sentado numa cadeira). Então, o pé traseiro encaixa na alça dianteira. Neste instante, todo o peso irá para frente da prancha, por isto a dica de puxar a barra para o kite te sustentar no ar e não deixar afundar o bico da prancha. Ao mesmo tempo, o kite irá girar sobre a cabeça trocando de lado. Então é a hora de colocar o outro pé que estava na frente para trás, sendo que quanto mais próximo à alça traseira, melhor. Para finalizar, estando com o corpo do outro lado, já girado, o kite irá dar pressão, então é a hora de controlar a barra para colocar a pressão adequada nas linhas.

fases do Tack

fases do Tack

Todo o giro da prancha no TACK ocorre em 45 graus, não em 180 graus como a maioria pensa. Você deverá sair velejando orçando e não em paralelo no través. No início é comum girar 180 graus e deixar orçar, mas depois de muito treino isto é fácil de ajustar.

Em relação ao tamanho da linha, o tipo de kite tubular oi Foil, tudo isto influencia. Com uma linha mais curta (kite foil 10 ou 13 com linha 11m) você não tem margem pra erros, enquanto que uma linha de 20m – 24m você consegue ajustar a pressão durante a manobra. E, com kite foil é muito mais fácil de te sustentar no ar, já os tubulares requer mais aptidão. Pense sempre em manter a pressão nas linhas.

Como sei que é difícil descrever em palavras, a seguir temos 2 vídeos da super campeã mundial Daniela Moroz, explicando em detalhes. E lembre-se de nunca desistir, o Tack é muito difícil de aprender, porém uma vez assimilado com sucesso tenho certeza que o velejo irá evoluir um absurdo.

Obrigado @Daniela Moroz por compartilhar o conhecimento com os velejadores.

 

Comentários