Acidentes velejando de Foil

 

Quem nunca tomou uma vaca, um tombo, um acidente, uma capotagem, chame como quiser, velejando de foil?

Todo mundo que se aventurou no mundo do Foil, seja kitefoil, wingfoil, surfoil, supfoil, windfoil em algum momento com certeza sofreu um tombo daqueles inesquecível. Isso é fato, principalmente na fase de aprendizado onde ocorre com mais frequência. E, por outro lado, pelo excesso de confiança aos experientes, descuidam de alguma atenção por um segundo, e o resulado é um tombo.

 

No foil o mais comum é o atleta entender a distribuição do peso em cima da prancha, ajustar milimetricamente a posição do mastro, quando possivel (alguns são fixos e outros tem um trilho de ajuste), posicionar os pés corretamente e ao mesmo tempo sincronizar com o corpo e a vela.

No kitefoil, onde a velocidade pode chegar facilmente a 50 km/h, é preciso assimilar o cérebro à velocidade, com o tempo isso ocorre naturalemente, e ao pegar confiança, o velejador arrisca mais ainda, chegando aos 70 km/h. Neste nível acima de 50 km/h tenha certeza que todo o domínio está consolidado, ou seja, o atleta sabe o que está fazendo. No entanto, não conseguimos visualizar o que há debaixo da água, e é comum atropelar peixes, galhos, cabos, pedaços de madeira, etc, e quando ocorre o contato com o mastro ou a asa do foil, o acidente é inevitável em muitos casos. Neste momento há o desequilíbrio da prancha, e você se torna um equilibrista literalmente. Claro que em muitos casos você retoma o controle, mas o comum é se chocar com a água. Por isto que em todos os casos o uso de capacete com protetor para as orelhas, colete de impacto é obrigatório.

Já no surfoil e supfoil é você e o equipamento, sem o apoio de uma vela pra aliviar na queda. Em 100% dos casos você está numa onda, curtindo com atenção e concentração focado no movimento e técnica. As quedas ocorrem por desequilíbrio na prancha, a asa perdeu contato ou sustentação com a água, pegou uma parte rasa na areia, a onda quebrou em cima do equipamento, a perna falhou, etc.

Enfim, a queda sobre o equipamento, principalmente no foil pode ter sérios danos à você, então, prever a queda e dar o pulo do gato na hora exata você pegará com o tempo.

 

Já no Wingfoil as quedas são mais lentas em relação ao kitefoil, pois a velocidade é muito menor. Como você está sempre com 2 cabos presos à vela e à prancha, numa queda certa, se for possível, largue a vela para não se chocar com você e o foil. A vela de Wing pode cair sobre a asa do foil e rasgar. Quantas vezes você vê o velejador abaixar demais a vela, abaixo da prancha e com o vento ela é empurrada para debaixo da prancha, ocasionando a queda com o foil em cima dela! Sabemos que é possível usar o trapézio, muitos já o usam, claro que se tiver uma retranca ajuda muito, mas te dá mais estabilidade e você não cansa tanto em ventos fortes. Mas lembre-se que é preciso redobrar a atenção no uso do trapézio, pois no impacto rápido não dá nem tempo de pensar, quanto mais desengata-lo. Então, sugiro ficar sempre atento, principalmente nas rajadas. E, para descer as ondas com o Wing, evite engatar no trapézio, aliás nem faz sentido surfar ou fazer um downwind com o trapézio engatado.

Já nos saltos de wingfoil, o risco do foil atingir o atleta e a vela é grande, mas vale a aventura e a emoção, tudo é uma questão de aprendizado e evolução.

 

Já no Windfoil os cuidados são similares ao Wingfoil, adicionando o fato de ter uma vela e a retranca para ficar atento.

O negócio é ir pra água e se divertir, ter conciência dos riscos, velejar e surfar respeitando as regras de segurança, limites para não colocar as pessoas em risco e evoluir sempre.

Para todas estas modalidades que citei no artigo, procure uma escola ou profissional credenciado para ensiná-lo, são pessoas que já passaram por várias fases, tem muitas dicas e truques para ensinar e não adianta atropelar as coisas: um aprendizado de cada vez 🙂 Há muitas escolas no Brasil e no mundo, o investimento na aula é fundamental, pois você usará o equipamento certo para o seu perfil e condições no momento da aula.

Se divirtam e aproveitem com os amigos.

@renatokite

 

Comentários