Home / Notícias / Eventos / Downwind Kalangão 2016

Downwind Kalangão 2016

arte-capa-kitetrip-696x572

São Poucos anos da realização do KiteTrip Kalangão, mas apesar disto, o downwind é um dos principais eventos esportivos da modalidade de kitesurf no Brasil. A referência nacional tem seus motivos e o principal deles é por ser realizado no litoral nordestino, que também é referência mundial. O Kalangão acontece durante a temporada dos melhores ventos, com um percurso de 370 km que devem ser completados em cinco dias. Com as inscrições ainda abertas, o evento está previsto para acontecer entre os dias 19 e 25 de setembro.

COMO SURGIU

A história por trás do nome do evento é compartilhada ao mesmo tempo em que se faz uma analogia aos desafios enfrentados no Kalangão. No ano de estreia, um dos organizadores do evento encontrou um calango no banheiro e tentou se livrar do animal, que se encontrava no vaso sanitário. No outro dia, voltou ao local e o encontrou na mesma posição. Comovido, retirou o calango e o devolveu para a natureza. Sem mais delongas, eles decidiram nomear o evento em homenagem à resistência do animal.

Segundo o organizador, Marcus Vinícius, o Poly, a kitetrip testa o psicológico, além de ser uma prova de resistência para cada atleta. “O Kalangão não é uma competição e sim uma superação psicológica e física, onde os participantes desafiam seus próprios limites. É um desafio pessoal de completar a cada dia o percurso escolhido pela organização. É a maior kite trip, não existe algo parecido”, explicou.

SOBRE O TRAJETO

O evento funciona no formato de um circuito. São 370 km em que os kitesurfistas terão de percorrer com largada na Praia do Cumbuco, localizada no Município de Caucaia (CE), com destino em Barra Grande, Município de Cajueiro da Praia (PI). A kite trip é considerada uma das maiores do país. Esta será a sua sexta edição, que tradicionalmente já está marcada para o mês de setembro, já que a temporada de ventos alísios no Nordeste começa no mês de julho e vai até janeiro.

“São cinco dias em mais de 370 km percorridos entre atletas profissionais, velejadores comuns de distintas profissões, como policiais, advogados, médicos, empresários, todos resgatando o que muitos esquecem quando começa a velejar, que é a diversão. O Kalangão é ecologia misturado com adrenalina e muita diversão”, completou Poly.

arte-trajeto-kite-tripii

ESTRUTURA

A trip conta com uma estrutura confortável para hospedagem e transporte dos atletas. Inclusas no valor da inscrição, as hospedagens são nas cidades de Lagoinha, Icaraí de Amontada, Praia do Preá, Camocim e na praia de Barra Grande, que fazem parte do trajeto. Além disso, os atletas têm direito ao café da manhã. A viagem segue o cronograma saindo da Praia do Cumbuco, em frente ao Hotel Kite Kabana, no dia 20 de setembro, às 10h, com a chegada prevista para o dia 24 do mesmo mês, à Praia de Barra Grande, no Piauí.

Os velejadores serão divididos em grupos com 15 atletas cada, em que também vão contar com um instrutor responsável por guiar e fornecer as informações necessárias durante o trajeto, totalizando 10 instrutores. Vão estar disponíveis 18 veículos de apoio em cada ponto, jet skys, equipe médica, além das equipes de imagem e mídia.

arte-agenda-kite-trip

MELHORES VELEJADORES DO BRASIL

A kitetrip conta com a participação dos melhores velejadores do Brasil. Este último é o atual campeão brasileiro da modalidade de kite surf na categoria freestyle. “O Kalangão é um evento sensacional que todos os anos tenho o prazer de participar e presenciar as maravilhas que Deus nos deu, como o vento, o mar. Sempre faço amizades e todo Kalangão é uma nova história para contar e lembrar o ano todo, com vontade de querer repetir”, declarou Set.

Para o kitesurfista Gustavo Foerster, o Kalangão lhe proporcionou as melhores aventuras dentro do esporte. “O Kalangão foi uma das experiências mais incríveis que já tive na vida como velejador. Já participei de vários eventos e campeonatos pelo mundo, mas nenhum trouxe a experiência pessoal de superação que passei nos quilômetros da travessia. Foi surreal passar por lugares inóspitos e inacessíveis, usando apenas o kite para atravessar dois estados com visuais incríveis”, afirmou Foerster.

As inscrições estão abertas e, das 80 vagas oferecidas pela organização do evento, já foram preenchidas 62. A expectativa é de que ainda neste primeiro semestre, o número seja completado. “Acho que todo velejador deveria passar por essa experiência, que com certeza deixará marcas na sua vida”, concluiu Gustavo Foerster.

Enquanto o grande dia não chega, você poderá conferir abaixo um pouco dos registros dos últimos eventos:

Por : Ananda Omati

http://www.piauisurf.com.br
loading comments...